ERROS COMUNS NO HOME OFFICE AFETAM O BEM-ESTAR DOS TRABALHADORES

Conheça os erros comuns no home office.

Diversos erros comuns no home office prejudicam a saúde e o bem-estar dos trabalhadores. São situações que se repetem na rotina diária, e para as quais ninguém dá muita importância. Mas que, a médio prazo, podem até gerar problemas médicos graves.

É um tema que merece atenção total dos empregadores. Afinal, o trabalho remoto continua sendo um trabalho para a empresa, que tem a responsabilidade de zelar pelas condições ambientais em que o colaborador executa suas tarefas.

Em 2018, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fez um levantamento e mostrou que 3,8 milhões de brasileiros já trabalhavam em casa. Com a pandemia do novo coronavírus a transição do escritório para o lar foi acelerada. Uma pesquisa da Fundação Instituto de Administração (FIA) mostrou que 46% das empresas do país adotaram o home office.

E esse modelo continuará crescendo em 2021. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) acaba de divulgar um estudo mostrando que o home office deve crescer 30% neste ano. Grandes empresas já anunciaram até que haverá vagas remotas definitivas mesmo após o fim da pandemia. É o caso da Heineken, em que os 1.300 funcionários administrativos das unidades de São Paulo e de Itu passarão a trabalhar exclusivamente em casa.

Com tudo isso, é preciso reforçar os cuidados e apoiar os funcionários na adaptação. Reunimos, aqui, um resumo dos erros comuns no home office que precisam ser corrigidos. Se tiver dúvidas sobre o assunto, clique aqui e mande sua pergunta.

Erros comuns no home office: comandar no improviso!

Como tudo foi feito às pressas, muitas empresas não organizaram uma rotina para o home office. Isso é uma falha que afeta a produtividade e gera bastante estresse. Ou seja, é ruim para companhia, é péssimo para o trabalhador.

É necessário delinear o processo de trabalho remoto, deixando claro as responsabilidades e os prazos, e criando limites. Não é por estar em casa, ao alcance de um clique no computador ou smartphone, que o trabalhador precisa ficar disponível a qualquer momento. Aliás, empresa que não respeita a carga horária pode sofrer uma reclamatória na Justiça do Trabalho.

Uma dica é contratar um funcionário para fazer esse meio-campo, para lidar apenas com a organização do trabalho remoto e o apoio aos colaboradores em questões que envolvam o tema.

O trabalhador deve criar um espaço para cumprir sua jornada!

Entre os erros comuns no home office, está misturar situações de casa com a rotina de trabalho. Não é de bom tom, por exemplo, que o funcionário interrompa uma reunião para atender o interfone e receber uma encomenda. Ou para discutir a lista de mercado “rapidinho” com o restante da família, já que alguém vai “agora mesmo” fazer as compras.

É hora de trabalho! De foco! Isso precisa estar bem claro. Da mesma forma em que o empregador deve ser flexível e permitir, talvez, jornadas em horários diferentes do padrão de um escritório (afinal, cada casa tem uma rotina), o funcionário tem que respeitar os momentos profissionais.

Por isso, é importante separar um espaço para o trabalho, transformar um cômodo em escritório. Ou, pelo menos, um canto da sala. Um lugar em que os familiares saibam que o profissional não pode ser incomodado.

Também é recomendável usar móveis adequados para longas jornadas –  e nisso a empresa pode ajudar financeiramente. No começo da pandemia, qualquer improviso era válido. Mas já faz quase um ano! Sem cadeiras e mesas adequadas, podem surgir problemas de saúde como LER (Lesão por Esforço Repetitivo) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).

Erros comuns no home office: mais e-mails e menos reuniões!

Um dos erros comuns no home office que mais cansa as pessoas é a quantidade de reuniões – muitas deles sem nenhuma importância. Ferramentas como o Zoom tornaram os encontros online muito fáceis. Isso faz com que os gestores caiam na tentação de “fazer um call rapidinho” várias vezes ao dia.

É péssimo para a saúde mental dos funcionários. Reunião online significa ficar minutos ou horas atento, com os olhos vidrados no computador, e fazendo um esforço cerebral grande. A conexão de um participante cai, a do outro fica travando e voltando. 10 pessoas tentam falar ao mesmo tempo. A mente fica muito cansada.

Além disso, reuniões online em excesso geram prejuízo para a empresa. Se a hora de trabalho de cada funcionário for R$ 100,00, e 15 participaram do encontro, foram R$ 1.500,00 gastos. Numa empresa de maior porte, é razoável imaginar que quantias de R$ 50 mil ou R$ 100 mil são gastas todos os dias para manter trabalhadores parados em reuniões online. Sendo que a maior parte dos assuntos poderia ter sido resolvida num simples e-mail.

As boas práticas da empresa devem ser estendidas ao ambiente remoto!

Ficou claro que programas de Compliance e de Boas Práticas feitos para o escritório, para o trabalho presencial, precisam ser adaptados?

É outra medida necessária. Esses Códigos de Conduta foram pensados para uma realidade completamente diferente. Agora, precisam prever situações novas, que ocorrem com mais intensidade – ou exclusivamente – no home office.

O Custódio Lima Advogados Associados é um escritório especializado em Direito Empresarial e em Direito do Trabalho, possuindo entre seus quadros profissionais voltados para assessorar as companhias na criação de manuais de Compliance.

Para tirar suas dúvidas sobre programas de boas práticas, adaptação ao home office e qualquer tema relacionado a direitos trabalhistas, clique aqui e envie uma mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Fale com um Advogado
Olá! Precisando de um Advogado? Fale conosco