ACUMULAR ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE: ISSO É POSSÍVEL?

Acumular adicionais de insalubridade e periculosidade

Acumular adicionais de insalubridade e periculosidade não é possível, de acordo com o parágrafo segundo do artigo 193 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Quer entender mais sobre o assunto? Continue a leitura!

Há alguns anos, começaram a surgir ações na Justiça que requeriam a cumulação dos dois acionais: o de periculosidade e o de insalubridade. Contudo, todas as decisões judiciais rejeitaram os requerimentos. Os processos chegaram até mesmo ao Tribunal Superior do Trabalho, que manteve a decisão de não cumulação dos adicionais.

Que tal entender um pouco mais sobre o que é cada um desses adicionais e como eles funcionam? Continue a leitura e, se tiver qualquer dúvida, clique aqui e mande uma mensagem.

Acumular adicionais de insalubridade e periculosidade

Acumular adicionais de insalubridade e periculosidade: conheça os benefícios!

Antes de tudo, é necessário entender o que é o adicional de insalubridade e o de periculosidade.

Para que um funcionário obtenha o adicional de insalubridade, primeiramente é preciso que a empresa realize um laudo de insalubridade. Esse documento irá registrar a existência de agentes insalubres presentes no ambiente de trabalho que possam causar danos à saúde e à integridade física do funcionário.

A partir desse laudo comprovando os agentes nocivos, o trabalhador obtém o direito de receber um adicional de insalubridade. São considerados agentes insalubres: radiação, vibração, exposição ao calor, umidade, entre outros.

O adicional de periculosidade funciona de forma parecida. Isso porque também é necessário que a empresa realize um laudo de periculosidade. Se o laudo comprovar que o ambiente de trabalho possui agentes periculosos, o funcionário obtém o direito de receber o adicional de periculosidade.

São considerados agentes periculosos: substâncias explosivas, atividades de segurança patrimonial, entre outros.

direito previdenciário

Saiba como os adicionais são calculados

O adicional de insalubridade é calculado de acordo com o grau do agente insalubre, que pode ser mínimo, médio e máximo:

– 10% sobre um salário-mínimo quando for de grau mínimo;

– 20% sobre um salário-mínimo quando for de grau médio;

– 40% sobre um salário-mínimo quando for de grau máximo.

Já o adicional de periculosidade é calculado de uma maneira diferente. O trabalhador recebe um adicional de 30% sobre o salário dele. ou seja, se ele ganha R$ 4.000,00 irá receber um extra de R$ 1.200,00.

A maior diferença no cálculo dos adicionais é o fato de que o de periculosidade incide sobre o próprio salário recebido pelo colaborador, ao contrário do de insalubridade que incide sobre o salário mínimo, independentemente do salário total.

direito trabalhista

Acumular adicionais de insalubridade e periculosidade: como funciona?

Qualquer trabalhador que seja exposto a agentes insalubres ou periculosos têm direito de receber os adicionais, desde que haja um laudo pericial comprovando que a atividade exercida realmente se enquadra dentro do que as normas regulamentadoras 15 e 16 definem como atividades insalubres e periculosas.

Se um ambiente de trabalho for atestado como insalubre e periculoso ao mesmo tempo, o colaborador não terá direito de acumular os dois adicionais. Nesse caso, será feito o cálculo de cada adicional e o trabalhador deverá escolher qual deseja receber. A escolha, lógico, é sempre pelo benefício de maior valor.

O objetivo dos adicionais é oferecer uma compensação ao trabalhador, já que exercer atividade em condições insalubres e periculosas geram riscos à saúde e à integridade física.

Custódio Lima Advogados Associados

O Custódio Lima Advogados Associados é um escritório especializado em Direito Empresarial, Direito do Trabalho, Direito Previdenciário, Direito Sindical e Direito de Família.

Nosso escritório está localizado em São Paulo, na Barra Funda, em frente ao Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, na Avenida Marquês de São Vicente, nº 230, Conjuntos 501 a 504.

Se tiver qualquer dúvida, pode perguntar clicando aqui. Em breve, responderemos.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Fale com um Advogado
Olá! Precisando de um Advogado? Fale conosco